Feeds:
Posts
Comentários

Saudações a todos os irmãos em Cristo que nos acompanham e auxiliam, vivendo e morrendo conosco todos os dias; com muita alegria e gratidão ao Senhor divulgamos nossos Projetos de 2011 e comunicamos um grande avanço dos Projetos que iniciamos em 2010.

Notícias Atualizadas do Instituto:

1) O site do nosso Seminário está operando plenamente, nosso Ambiente Virtual de Estudos está estabilizado, temos mais de 20 alunos cursando conosco no presente momento, recebemos novos tutores e professores e formamos nosso primeiro aluno Bacharel.

2) Nosso Saltério continua sendo construído e na segunda fase de sua produção estaremos, segundo nos permitir nosso Senhor, executando gravações dos Salmos já metrificados.

3) A  Fundação de Pesquisas em Escatologia Reformada e Historicista está caminhando em suas pesquisas e tem recebido, pouco a pouco, ajuda nas pesquisas.

4) Idem quanto a Sociedade para Guarda do Dia do Senhor.

5) Esperamos, em Cristo, nosso Senhor, publicar, este ano, alguns dos vários livros que já traduzimos e que temos traduzido.

Porém ainda precisamos de muita ajuda! Assim, peço novamente:

Todos os irmãos que estiverem dispostos, pela Graça de nosso Senhor que move os corações dos homens, a nos auxiliarem nestes projetos, favor entrar em contato por e-mail ou pelo site.

Permaneçam em oração conosco e em comunhão, para toda boa obra, e para glória e honra de nosso Senhor, Salvador e Rei.

Anúncios

Saudações a todos os irmãos em Cristo que nos acompanham e auxiliam, vivendo e morrendo conosco todos os dias;

Notícias Atualizadas do Instituto:

1) O site do nosso Seminário está operando em fase de teste e já estamos recebendo os primeiros candidatos para este ano.

2) A primeira fase (de um total de dez fases previstas) de nosso Saltério foi concluída e algumas congregações já iniciaram o estudo da melodia dos mesmos. Peço que os irmãos orem para que nosso Senhor nos envie mais colaboradores, dada a grandiosidade da tarefa.

3) A The Historicism Research Foundation selou conosco uma Aliança para publicação e divulgação do trabalho do Rev. Dr. Francis Nigel Lee, e de seus outros colaboradores, especialmente quanto a Escatologia Reformada. Através desta aliança nos comprometemos a fundar, no Brasil, a Fundação de Pesquisas em Historicismo.

4) O mesmo Rev. Dr. Francis Nigel Lee, o qual serviu distintamente tanto a Lord’s Day Alliance quanto a British Lord’s Day Observance Society também nos tem provido de material para o início de um projeto semelhante no Brasil  – A Sociedade para Guarda do Dia do Senhor.

Todos os irmãos que estiverem dispostos, pela Graça de nosso Senhor que move os corações dos homens, a nos auxiliarem nestes projetos, favor entrar em contato por e-mail ou pelo site.

Ainda estamos necessitando bastante de irmãos que possam traduzir textos, do Inglês ou Espanhol para o Português, mesmo que esporadicamente, ou ainda mesmo que somente um texto. E, aos que não pode contribuir desta forma, peço que orem ao Senhor para que Ele nos envie os servos Seus que foram, por Ele, dotados destes dons.

Permaneçam em oração conosco e em comunhão, para toda boa obra, e para glória e honra de nosso Senhor, Salvador e Rei.

Saudações a todos os irmãos que acompanham e oram pelo nosso trabalho.

O Senhor nos tem sustentado até aqui e nos tem enviado preciosos irmãos para nos auxiliar. Orem por estes que estão cedendo seu tempo e dedicação no serviço ao Senhor no Malleus Dei.

Cremos, pela forma como se desenvolve atualmente nosso trabalho, que este ano reabriremos inscrições para o Seminário Teológico Reformado, gratuito e online – tanto para o Seminário Geral, quanto para o Seminário Kalleyano. Já temos a estrutura digital pronta e aguardamos apenas que todos os professores enviem seus termos atualizados de adesão ao voluntariado.

Pelo atual prosseguimento, estaremos também prontos para, nos próximos meses,  fazer o lançamento do site da Igreja Kalleyana e do livro “O Bem-Aventurado Senhor dos Senhores” pela Casa Publicadora Kalleyana e pelo Jardim Clonal.

Agradeçam ao Senhor conosco, em oração, pelas grandes coisas que Ele tem operado em nosso meio e pelo que Ele ainda fará, conforme Suas preciosas promessas e o Amor que tem pelo Seu Nome inscrito no Seu Povo Escolhido, chamados pela doce voz de Cristo Jesus.

O Instituto está dividido da seguinte forma:

1)      Academia de Teologia Reformada

  1. Escola Kalleyana de Exposição das Doutrinas Cristãs
  2. Seminário Teológico Kalleyano (Online)
  3. Seminário Teológico Geral (Online)
  4. Colégio Dr. Robert Reid Kalley

2)      Malleus Puritanae

  1. Estudo da Teologia e Prática dos Puritanos

3)      Instituto de Pesquisas

  1. Church Planting
  2. Apologética Reformada
  3. Novas Metodologias Científicas
  4. Epistemologia Reformada
  5. Pedagogia e Educação Reformada

4) Editora Caritas Vero Aedificat

  1. Selo Kalleyana
  2. Selo Didascalus
  3. Selo ABTR

5)      Aletheus

  1. Casa de Colportagem Multimídia
  2. Casa de Letras e Artes
  3. Casa de Novas Mídias

6)      Departamento de Relações Externas

  1. Conselho de Relações com a Igreja Kalleyana
  2. Outros Conselhos de Relações

Saudações aos irmãos que tem acompanhado nossos trabalhos.

Temos atualmente quatro projetos principais em pauta e buscamos voluntários que possam nos auxiliar em qualquer um deles:

1) Tranformação do Instituto Malleus Dei em uma ONG.

Precisamos:
* De advogados voluntários que possam nos intruir sobre o assunto;
* De cristãos sinceros que amem as Doutrinas da Graça e que possam dedicar seu tempo (ainda que via internet) a nos auxiliar em algum de nosso departamentos.

2) Consolidação da Academia de Estudos em Teologia Reformada.

Precisamos:
* De tradutores (inglês-português) que nos ajudem a traduzir os livros do curso e as vídeo-aulas;
* De cristãos sinceros, que amem as Doutrinas da Graça, e sejam formados em Teologia para nos auxiliar como Mentores ou Tutores  (ainda que somente via internet).

3) Organização e Publicação de um Saltério Brasileiro

Precisamos:
* De cristãos sinceros, que amem as Doutrinas da Graça, e tenham dom para poesia, para auxiliar e aperfeiçoar a metrificação que estamos produzindo dos 150 Salmos da Escritura;
* De cristãos sinceros, que amem as Doutrinas da Graça, e tenham dom para música, para auxiliar na composição de melodias que sejam coerentes com a mensagem de cada Salmo, com a atmosfera litúrgica da Igreja e com a cultura de nosso País.

4) Criação de um Instituto de Educação de 1º Grau

Precisamos:
* De cristãos sinceros, que amem as Doutrinas da Graça, e tenham interesse na Pedagogia Reformacional e em aplicar os Princípios Bíblicos na criação de uma Escola Cristã totaltmente comprometida com os pressupostos da Palavra de Deus;
* De cristãos sinceros, que amem as Doutrinas da Graça, e tenham interesse em ser sócios deste empreendimento sem fins lucrativos, pessoas que desejem ver uma escola de qualidade com preço acessível a classe média-baixa e baixa da população (mensaliades de R$90 ou menos).

Orem pelos nossos projetos, para que o Senhor nos mande estas pessoas. Sobretudo que todas estas coisas cooperem para a Glória do Seu Nome excelso e para o bem dAqueles que o amam.

Nosso coração clama por um Brasil Reformado! Orem por nós, orem conosco.

Instituto Malleus Dei

Propósitos e Princípios da Malleus Dei

Artigo I. O Malleus Dei contribuirá para a teologia, cultura e educação de modo a dirigir, pela Graça de Deus, na medida da Vontade dEle, o mundo para a correta compreensão da Escritura, fazendo assim anunciar a Verdade e a Graça de Deus em Cristo. Lutaremos nisto para que o mundo esteja cheio do Conhecimento de Deus (Isaías 11:9) e para que nas coisas mais ordinárias esteja escrito Santidade ao Senhor (Zacarias 14:20).

Seção 1.01 Nosso objetivo será alcançado, segundo a Graça e a Vontade de nosso Senhor, através de cada membro de nossa organização, que assume o solene compromisso de orar (particularmente, em família e em sua igreja) pelo instituto e por nossa missão e que se comprometem a zelar, como verdadeiros crentes, pelo Nome do Senhor em todas as áreas de sua vida (no trabalho, na família, na igreja e na Malleus Dei), Nome o qual, ao declararmo-nos Cristãos, temos tomado sobre nós;

Seção 1.02 Confessamos, neste sentido, que a mais correta compreensão da Escritura é aquela auferida pela chamada Fé Reformada, presente desde a antiguidade nos escritos de Pais da Igreja como Policarpo de Esmirna e reafirmada com poder na Reforma Protestante. Tal compreensão está presente nos lemas principais da Reforma: Sola Scriptura, Sola Gratia, Sola Fide, Solus Christus e Soli Deo Gloria; e nos lemas auxiliares Sola Ipse (Sacerdócio Universal dos Crentes) e Sola Crux (A Cruz de Cristo é a raiz da nossa Teologia) segundo o que foi especialmente fixado nos escritos de Calvino, ampliado e enaltecido na obra dos Puritanos (dos quais destacamos como referências John Owen e Samuel Rutherford), e continuada em homens como Jonathan Edwards, Robert Kalley, B.B.Warfield, Abraham Kuyper, Herman Dooyewerd, Joel Beeke, Sinclair Fergunson, R.J.Rushdoony e Cornelius Van Til (que serão tomados em conta somente e tão somente quando suas opiniões não contradigam a plena subscrição dos símbolos e confissões descritos no Artigo VI).

Artigo II. O Malleus Dei, no escopo citado no Artigo I, lutará pela causa das viúvas e dos órfãos, amparará o desamparado e promoverá a Paz e a Verdade conhecidas na Escritura.

Seção 2.01 Provendo as igrejas de homens capacitados e instruídos para esta causa;

Seção 2.02 Provendo o mundo de escolas de período integral que amparem aos órfãos e recebam gratuitamente aos pobres e aos filhos jovens das viúvas necessitadas para educá-los no temor do Senhor;

Seção 2.03 Provendo o mundo de excelentes colégios técnicos e universidades cristãs, dirigidas e ordenadas pela lei e graça de Cristo, instituições estas que empregarão e formarão profissionais comprometidos com a cosmovisão Cristã Reformada Clássica;

Seção 2.04 Acompanhando, incentivando e auxiliando os mais piedosos e santos homens graduados nas escolas citadas na Seção 2.02, para que ingressem e se formem nos colégios e universidades da Seção 2.03 e desempenhem papéis de destaque nas igrejas, nas grandes empresas e em todas as esferas da administração de nosso País, com o objetivo de auxiliar-nos no cumprimento de nossos Princípios e Propósitos;

Seção 2.05 Anunciando ao mundo e convertendo sua cultura através de livros, artes e mídias para que os Cristãos sejam instruídos na vontade do Senhor para com os desvalidos e para que os não-Cristãos vejam na sua própria insensibilidade, confusão e indiferença a prova experiencial de sua natureza pecaminosa da qual a Escritura fala e a denúncia da sua terrível situação perante Deus conforme a Igreja anuncia.

Artigo III. O Malleus Deis lutará pelo respeito à tolerância religiosa e à liberdade de expressão de maneira que sempre seja possível demonstrar pela razão em exercício da Escritura que Cristo é o único Caminho, a Verdade e a Vida e que ninguém vai ao Pai senão por Ele.

Seção 3.01 O Malleus Dei lutará para que os homens ímpios tenham liberdade para contradizer a Escritura e para atrair para eles mesmos condenação à que estão destinados, desde que isto não interfira na liberdade dos Cristãos anunciarem e viverem o Evangelho;

Seção 3.02 O Malleus Dei considera que há limites para estas liberdades, e que estes limites são fixados pela Escritura na compreensão moral da Lei de Deus – qualquer expressão ou religião imoral segundo a Escritura não deve ser tolerada pelos homens.

Artigo IV. O Malleus Dei através de seus vários departamentos e ações encorajará seus membros e estudantes a contribuir com a prosperidade e progresso das igrejas, escolas e institutos associados à Malleus Dei servindo neles como voluntários ou desenvolvendo neles suas carreiras.

Artigo V. Cada departamento da Malleus Dei opera como uma organização autônoma, com seus próprios membros, conselhos e ações e pode, inclusive, se necessário, ter suas próprias pessoas jurídicas.

Seção 5.01 No entanto todos, de comum acordo, estão unidos pelo mesmo Estatuto Geral de modo que suas operações ou regras particulares não podem entrar em conflito com as regras e objetivos estabelecidos no Estatuto Geral;
Seção 5.02 Um Conselho Geral composto de membros de todas as categorias e dos diretores de cada departamento poderá se reunir para questionar as decisões de qualquer departamento da Malleus Dei;

Seção 5.03 Um Conselho Geral, conforme a Seção anterior terá a decisão final em quaisquer controvérsias levantadas em relação às decisões tomadas pelos departamentos.

Artigo VI. O Malleus Dei, para cumprir a Grande Comissão e para glorificar a Deus, dentro da compreensão da Escritura, cooperará com outros grupos que compartilhem da Fé Reformada desde que haja aderência não contemporizada a uma das seguintes confissões (ou a símbolo de Fé de semelhante conteúdo): Padrões Kalleyanos, Padrões de Westminster, Declaração de Savoy e as Três Formas de Unidade; na compreensão destes documentos, exigimos a submissão a uma Forma de Culto Reformada, que respeite o Princípio Regulador do Culto e a uma piedade puritana, semelhante aquela que encontramos, por exemplo, na Verdadeira Vida Cristã de João Calvino e na Prática da Piedade de Lewis Bayly.

Seção 6.01 O Malleus Dei repudia qualquer contato com a Igreja Romana ou quaisquer outros grupos que defendam que as boas obras cooperam acrescentando algum tipo de mérito à justiça de Cristo da qual somos revestidos pela Fé, o que significaria que a justiça de Cristo é insuficiente para a salvação do eleito;

Seção 6.02 O Malleus Dei repudia qualquer contato com grupos pentecostais, neo-pentecostais, sandemanianistas, arianos, unitarianos, universalistas, pelagianos, semi-pelagianos, liberais, neo-ortodoxos, hipercalvinistas, hiperpactuantes, neocalvinistas , reconstrucionistas, adeptos da “Visão Federal”, dominionistas ou qualquer outra comunidade cuja teologia e/ou prática se oponha à comum interpretação das Confissões e Símbolos de Fé supracitados;

Seção 6.03 O Malleus Dei dialogará com grupos de outras tradições calvinistas, inclusive calvinistas inconsistentes, e com outras vertentes teológicas Cristãs que não se enquadrem nos repúdios acima mencionados, de modo a aproximá-los da Escritura e poderá cooperar com eles para o bem do Reino de Deus, conquanto esta cooperação seja constante de exposição bíblica e distribuição de material escrito (ou na mídia mais adequada) que denuncie e corrija os exatos desvios que este grupo apresenta.

Artigo VII. O Malleus Deis lutará pela diversidade cultural do mundo e promoverá intercâmbio cultural, para aproximar as Igrejas Reformadas concordes com o Artigo VI em uma única (ainda que múltipla) sociedade, para o mútuo entendimento e cooperação.

Seção 7.01 Isto será executado pela submissão de toda cultura à Escritura, de modo que toda expressão cultural humana, ainda que diversa, seja centralizada em Cristo e objetive a glória de Deus;

Seção 7.02 Todo instrumento musical, todo ritmo, toda dança, toda arte e costume serão conservados ou eliminados tendo-se em vista se tal instrumento, ritmo, dança, arte ou costume colabora para maior humilhação do homem perante Deus e maior reflexão sobre o caráter e obra de Cristo – toda expressão cultural que exalte o homem sobre Deus ou que estimule as paixões carnais será rejeitada e eliminada;
Seção 7.03 Esta diversidade cultural e suas expressões citadas na Seção 7.02 não serão aceitas no exercício litúrgico do culto – para tal momento está reservada a maior solenidade e temor, e toda atenção deve ser dada a Palavra de Deus que será pregada e cantada, e deve estar presente na expressão espontânea da oração. Os Padrões e Confissões citados no Artigo VI devem ser consultados caso haja dúvidas a este respeito.

Artigo VIII. Estão compreendidas nas organizações do Artigo VII, devendo servir como modelos para qualquer outra organização com a qual o Malleus Dei cooperará: o Exército da Terra Redimida, para contrapor a noção mística e panteísta da ecologia moderna e pós-moderna, e promover a proteção e bom uso da natureza e dos recursos ambientais segundo a ótica Cristã que é oposta ao que hoje o mundo tem feito; a União Cristã de Caridade, para a boa ordem social-pública e amparo aos necessitados, sabendo que não devemos esperar uma uniformidade social, nem devemos lutar para alcançá-la – Deus criou os pobres e os ricos com seu devido propósito – mas que, paralelamente, isto não nos isenta de cuidar dos doentes, pobres e demais necessitados; e a Igreja Puritana Reformada para progresso e manutenção da Fé Cristã Histórica, conforme definida no Artivo VI.

Seção 8.01 Esta cooperação se dará conforme a comum compreensão Reformada Clássica do Mandato Cultural e da Grande Comissão, e será executada pela Malleus Dei através das seguintes ações:
(a)       Graduar em nosso Seminário e outros Institutos criados por cada Departamento pessoas que servirão nestas organizações – tanto recebendo delas estes homens quanto incentivando e encaminhando para elas aqueles que se graduarem conosco;
(b)       Organizar Simpósios com fiéis Cristãos que farão Exposições Bíblicas sobre os temas relevantes a cada uma destas organizações e garantir a participação dos membros destas organizações em tais Simpósios;
(c)       Fomentar, pelo Seminário e Institutos citados no item a, pesquisas que auxiliem as organizações citadas no cumprimento do objetivo citado na Seção 8.01;
(d)       Traduzir, produzir, publicar, distribuir e colportar Livros e outras mídias que auxiliem as organizações citadas no cumprimento do objetivo citado na Seção 8.01 e que inculquem na sociedade o desejo de auxiliar as organizações citadas.
Seção 8.02        O Malleus Dei assume ainda os seguintes deveres para com estas organizações:
(a)       O Malleus Dei porá em prática um Plano de Cooperação com estas organizações, a ser descrito em nosso Estatuto.
(b)       O Malleus Dei no seu Departamento de Relações Exteriores constituirá um Conselho apropriado para cada uma das organizações auxiliadas e trabalhará para que o maior número possível de membros deste Conselho assuma cargos proeminentes dentro das referidas organizações.

Artigo IX. O Malleus Dei será regido conforme sua Constituição, e terá grande apreço pela contribuição, voto e toda sorte de participação de seus membros, de forma que nenhuma decisão partirá exclusivamente da diretoria eleita, mas toda decisão (dentro dos limites registrados nestes Princípios, no Estatuto Geral e na sua Constituição) representará a vontade dos membros da Malleus Dei.
Seção 9.01 Neste sentido, é exigido de todo membro da Malleus Dei que seja operante dentro da organização conforme o Artigo IV do presente documento. A este respeito, para que a participação dos membros seja concreta, quando não for expressa pelos diretores dos departamentos uma necessidade ou vaga para voluntariado ou carreira, o membro deve, de maneira autônoma, desempenhar uma das seguintes funções:
(a)       Hospedar em sua casa (ou em outro lugar adequado provido pelo membro) uma congregação, ou semelhante trabalho, de uma das Igrejas que cooperam conosco conforme o Artigo VII;
(b)       Caso não seja aprovada pela Igreja a existência de tal trabalho ou congregação, o membro pode hospedar em sua casa (ou em outro lugar adequado provido por ele) um grupo de divulgação e estudos de uma das outras organizações do Artigo VII;
(c)       Organizar Simpósio ou Conferência sobre assuntos pertinentes ao escopo do Malleus Dei, convidando outros membros do Malleus Dei como Palestrantes ou Pregadores, provendo-os de tudo o que for necessário para estarem no referido evento;
(d)       Organizar e manter uma biblioteca contendo volumes de assuntos pertinentes ao escopo do Malleus Dei, e, realizar nesta biblioteca, forums e palestras convidando outros membros do Malleus Dei para dirigir o evento,
(e)       Regularmente colar pôsteres produzidos pelo Malleus Dei e/ou propagar seus folhetos, livros, intervenções urbanas ou outras mídas em lugar onde isto seja permitido (em espaço publicitário alugado pelo membro, por exemplo);
(f)         Entrevistar pedestres nas ruas, colhendo informações para contato e apresentando perguntas que instiguem o pensamento sobre os assuntos pertinentes ao escopo do Malleus Dei, inclusive encaminhando-os para algum de nossos trabalhos ou indicando algum de nossos livros ou mídias;
(g)       Compilar artigos de membros da Malleus Dei em forma de jornal, publicá-lo e distribuí-lo;
(h)       Organizar doações financeiras de membros do Malleus Dei para algum projeto do Malleus Dei que esteja aceitando doações. Tais doações devem ser nominais de cada membro contribuinte e deve ser feitas por sistema autorizado do Malleus Dei;
(i)         Organizar passeatas ou protestos pacíficos contra decisões políticas, empresariais ou eclesiásticas que sejam contra os Mandamentos de Deus conforme compreendidos na Teologia Reformada;
(j)         Organizar envios de cartas ou e-mails em massa para autoridades, agências de mídia ou empresários para denunciar e exigir providências contra aquilo que fere os Mandamentos de Deus conforme compreendidos na Teologia Reformada;
(k)       Organizar pequenos grupos para dividir e gerenciar estas tarefas descritas acima.

Seção 9.02 Todas as ações referidas na Seção anterior, apesar de serem realizadas de maneira autônoma, estão sob o controle e jurisdição do Malleus Dei que pode, a qualquer momento, interferir, alterar ou cancelar tal ação devendo esta decisão ser acatada pelo membro.

Seção 9.03 Nenhuma das ações realizadas de maneira autônoma será considerada uma ação oficial do Malleus Dei até que seja examinada e aprovada por um Conselho Geral e somente continuará sendo considerada uma ação oficial caso possa ser acompanhada pela diretoria de algum dos departamentos da Instutição.
Artigo X. O Malleus Dei preza grandemente pela unidade doutrinária e prática entre todos os seus membros e será considerado cismático qualquer indivíduo, grupo, movimento ou publicação que busque criar contenda sobre:
Seção 10.01 Questões ausentes dos Padrões Kalleynos, dos Padrões de Westminster, ou das Três Formas de Unidade;

Seção 10.02 Questões de aparente contradição entre os Padrões Kalleynos, os Padrões de Westminster, e as Três Formas de Unidade – todos estes Símbolos foram devidamente comparados e tais questões devem ser dirimidas em discussões que pressuponham a complementaridade destes documentos, sendo os Padrões de Westminster a regra maior dentre os três para dirimir estes conflitos;

Seção 10.03 Questões que contrariem as crenças expressas no Estatuto da Malleus Dei ou nos presentes X Artigos dos Princípios e Propósitos do Instituto Malleus Dei.